segunda-feira, 18 de maio de 2009

Por vezes chateio-me e depois quando me passa fico a pensar que faço uma tempestade num copo de água. Noutras vezes, chateio-me e penso que dada a frequência de certos acontecimentos que me chateiam, quando os deixo passar pensando que fiz uma tempestade num copo de água, penso é que se calhar esta última parte acontece quando me deixo contentar com pouco.
Pronto, isto é tudo uma tempestade num copo de água, mas tinha que escrever algo novo.

6 comentários:

jg disse...

Cá está o resultado de enfrascar as tais oito minis!!!!!

bonifaceo disse...

Não, eu deixem de beber. :D

Miss Kin disse...

Qdo começas a ver coisas a acontecer vezes de mais, quer dizer q merecem a tempestade.
Às vezes achamos, depois de rebentar, q se calhar deviamos ter engolido e calado, mas se o tivessemos feito, nunca ninguém ia saber o q queremos ou ñ ter na nossa vida!

bonifaceo disse...

Miss Kin, quando me lembrei de escrever sobre o que escrevi nem era tanto nesse contexto, era mais quando passamos demasiado tempo despercebidos. Mas também pode ser, e tens toda a razão.

gonçalo jordão disse...

Eu sugeriria (mas eu sou apenas um leitor 'de passagem'), e tomando de assalto o conteúdo do post anterior, uma tempestade num copo de gin tónico (e um copo de gin tónico traz já uma tempestade incluída) - onde matarias dois coelhos de uma só cajadada. (agora que acabei de a escrever,apercebo-me de quão magnífica esta expressão popular é: tem um sentido telúrico que nos retira deste Portugal que muito bloga e ainda mais twitta, um tempo em que os portugueses ainda tinham namoradas que queriam namorar com eles.)
Enfim. Cumprimentos.

G.J.

bonifaceo disse...

Gonçalo, seria uma opção se não tivesse deixado de beber. :D

Pois, não sei, eu já bloguei mais e o twitter, por acaso é muito falado, mas eu nunca utilizei.

Cumprimentos.