sábado, 18 de março de 2006

Conversas no autocarro!

Digo-vos, às vezes as viagens às Sextas no expresso de Viseu para Aveiro são um bocado massacre pelas conversas que se vão ouvir ali mesmo ao pé durante uma hora inteira:
É estudantes de educação de infância a falar de representações e que a avaliação à cadeira "x" é feita ao caderno diário e pelos trabalhos que lá estão.
É estudantes de enfermagem, que vão ali se for preciso uma hora inteira a falar de hospitais... credo, estas são as piores, às vezes a conversa varia um pouco para falar mal da colega de casa que é assim e assado, e na semana seguinte falam do mesmo só porque vai um caloiro no grupo e dizem o que elas passam e que ele vai passar para o ano. "Curto" é a maneira como falam dos doentes, parece que é como se fosse só e apenas trabalho experimental, que o é, por estarem em formação, mas não gosto da maneira como falam, não sei explicar.
Esta semana, haviam pouco lugares vagos, e no grupo de cinco lugares ao fundo do autocarro, haviam dois à esquerda vazios, os outros três estavam ocupados com caloiras da superior Agrária, e tal como eu previra, havia de chegar mais uma que se sentaria no lugar vago entre mim e as outras, e assim foi. Essa e uma outra eram as que falavam mais e ainda por cima tinha uma voz rouca... que masacre, uma até ligou o portátil para mostrar as músicas que para lá tinha, e tinha uma data delas da Disney...
Chamaram uma vez vapor e outra vez fumo a fiapos suspensos de nevoeiro na ip5... ainda não devem saber bem o que é nevoeiro.
Pareço má língua, e chato a embirrar pelos outros irem a conversar, mas é um bocado massacre certas conversas e o tom de voz (um pouco alto)... porque há muita gente que conversa e não me incomoda, ao contrário dos exemplos que dei.

15 comentários:

Elentári disse...

Arranja um mp3, vais a ouvir música e não tens de aturar ninguém. Beijinho, boa sorte para a próxima viagem!

bonifaceo disse...

Não sabes em como pensei nisso durante a viagem... eu tenho uns oscultadores na mala do portátil, mas ter que o levar em cima das pernas não dá com nada...
Beijo.

Sol disse...

Melhor que ires a ouvir as gralhas!! ;)

Hidrogenio disse...

Phones nas orelhas e siga para bingo !!

Mipo disse...

desabafa, Boni, desabafa! E da próxima vez, já sabes: phones - essa grande invenção!

maria disse...

TU queixate rapaz, afinal como dizia o velhinho todos temos direito à indignação!

salomé disse...

Eu não vou lá sentada senão também me chatearia, boni, mas estas histórias – a nós - ainda dão para rir! Mas acho que a elentári teve uma excelente ideia. Mp3 para a cabeça!!! ou para os ouvidos, neste caso ;)

bonifaceo disse...

Queria comprar um leitor de mp3 mas estava a ver se baixavam um pouco os preços. E também não curto ligar o portátil no autocarro.
Beijos para todas.

manuel disse...

A poluição sonora é o pior para a nossa sanidade.
Agora desde que não falem de futebol...
Há outro remédio: entrar na conversa.
Boas viagens.

SEAMOON disse...

há boas tecnicas de meditação de yoga que ajudam a contornar essas situações!!
Senão resulatar há sempre a boa maneira alentejana de por tudo na ordem!!
bjs

bonifaceo disse...

Hoje para meu grande azar a que tem uma voz forte e rouca ficou no par de bancos ao lado do meu... mas pronto, as restantes estavam mais longe e ela ia a falar com uma rapariga decente que falava baixo ao contrário dela...
Beijos seamon, e obrigada pelo conselho.
Manuel, pois futebol é melhor não que normalmente as raparigas só costumam apreciar os jogadores e iam ficar histéricas ou algo do género :D.

Zeka disse...

Vai a pé!

Abraço

Pop disse...

Olha o meu mp3 é dos mais fracotes e só custou 35 euros(acho eu),leva pra aí umas 40 músicas e é fabuloso para desenrascar!E não tens k levar com conversas da treta!

bonifaceo disse...

Achas que sim zeka? Isso era um massacre ainda maior. Um abraço.
Pop, já pensei comprar um desses, mas fiquei com medo que durasse pouco... ou que o som fosse muito fraco. Vou-me aconselhar e pensar melhor. Beijo.

poca disse...

bem bem... era teres o bom do mp3 e pores-te a cantar a altos berros, mas muito desafinaaaaadooo!